GOVERNO INVESTE 13 MILHÕES DE DÓLARES PARA REABILITAÇÃO E EXPANSÃO DA ETAR DE INFULENE

O Ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, João Machatine, orientou hoje, 02 de dezembro, a Cerimónia de Lançamento da primeira pedra para as obras de construção e expansão da Estação de Tratamento de Águas Residuais de Infulene, uma empreitada avaliada em 13 milhões de dólares americanos, financiados pelo Banco Mundial.

Na ocasião, o Ministro Machatine, referiu que com o crescimento exponencial das cidades de Maputo e Matola, a ETAR de Infulene deixou de responder às exigências para as quais foi construída, por isso o Governo identificou para este quinquénio a aceleração dos investimentos nos serviços de Saneamento, que tem sido desfavoráveis nos últimos anos.

A Obra de reabilitação e expansão da ETAR de Infulene enquadra-se no âmbito de implementação do projecto de Saneamento Urbano, avaliado em 115 milhões de dólares, dos quais 13 milhões serão aplicados na ETAR. Actualmente, a ETAR serve apenas 15 mil habitantes, devendo na plenitude em 2023, servindo 90 mil habitantes, com perspectivas de alcançar 128 mil habitantes em 2040.

Para além das Obras de reabilitação e expansão da ETAR de Infulene, Maputo também vai se beneficiar de expansão de 8.5km de rede de esgotos, que se conectarão à ETAR de Infulene para o devido tratamento.

 “A ETAR de Infulene, é uma infraestrutura fundamental e constitui um elemento importante de todo o sistema de saneamento básico e drenagem planeados para a área metropolitana de Maputo, e irá contribuir de forma relevante para a resolução dos actuais problemas, sobretudo no trecho final do rio Infulene e na baía de Maputo”, disse Paulo Sithoe, representante do Banco Mundial no Evento.

No final da sua intervenção, Sithoe recomendou que todas as instituições implementadoras do projecto, a envolverem as partes interessadas e comunidade, como forma de estimular maior apropriação do Projecto, transparência e responsabilidade na construção e operacionalização sustentável do empreendimento.

Segundo, o presidente do Conselho Municipal de Maputo, Eneas Comiche, O saneamento na cidade de Maputo é preocupante, se tomarmos em consideração a existência de muitas áreas com grandes aglomerados populacionais onde a degradação, funcionamento deficiente ou mesmo a inexistência de equipamento de saneamento acarretam riscos incalculáveis para a saúde Pública”

Em Maputo, por exemplo, dos cerca de mais de 1.2 milhões de habitantes, mais de 30% não tem acesso aos serviços básicos de saneamento convencional, o que para Comiche constitui uma realidade preocupante para o Conselho Municipal de Maputo.

Comiche destacou ainda que a introdução da tarifa de saneamento prevista para breve, vai permitir a colecta de receita para garantir a manutenção e melhoramentos progressivos dos serviços de saneamento no Municípios.

Importa referir que, no âmbito do mesmo projecto, as cidades de Tete e Quelimane, também vão beneficiar-se de construção de raiz de Estações de Tratamento de Águas Residuais e expansão da rede de esgotos, para além de outras infraestruturas de nível familiar e público.

DNAAS – Saneamento para Todos, Responsabilidade de Todos!